Quem nunca pegou ranço de alguém que atire a primeira cara feia.

Ranço é daquelas palavras e emoções difíceis de explicar, né?! Basicamente, é uma gíria que descreve raiva ou desprezo. É usada para coisas e pessoas que você se entediou ou tem repulsa.

A palavra é portuguesa e vem do aspecto ou gosto desagradável de uma comida. Se você conheceu alguém e os santos não bateram, provavelmente ficou com rançoooooo.

Só que…

Entendi uma forma de contornar a situação e dar a volta por cima nessa carinha de nojo.

Olha o que aconteceu comigo.

Queria ler um livro pela quarta vez mas estava com preguiça. Tive a ideia de montar um grupo de leitura ao vivo dos capítulos. Foi maravilhoso. Umas 40 pessoas se inscreveram.

Um dos participantes foi Lisandro Gaertner. A cada encontro, ele fazia comentários pertinentes em meio ao vocabulário erudito em uma voz de locutor de rádio dos anos 70.

Aquilo foi me subindo às entranhas. “Quem ousava tirar meu trono de mestre master pica das galáxias dos grupos de leitura?”, o subconsciente me enviava o fax. E o consciente entendia como “Hum… Que cara chato”.

Fui ao jardim conversar com Alisson Vale, meu conselheiro namorido, e confessei os pensamentos mais sórdidos que alimentei por semanas contra Lisandro.

_ Por que ele te incomoda?

_ Porque ele é ótimo, disse subitamente.

E aí, entendi tudo. A verdade descaradamente nua que ninguém quer assumir. Eu estava um poço de in – ve – ja.

_ Ao invés de dispensar as pessoas extraordinárias que aparecem na sua vida, por que não forma alianças com elas e fica mais forte?

Essa pergunta me remoeu por horas e entrei em contato com Lisandro para, humilde e genuinamente, saber mais sobre o trabalho dele como game designer. O assunto me interessava muito.

Marcamos uma videoconferência. O resultado foi um deleite de troca rica e uma penca de aprendizado a cada segundinho. Imediatamente, aconteceu a mágica da alquimia da inveja em admiração.

Convidei Lisandro para falar sobre gamificação no Clube de Realizadores. Foi uma aula de cair o queixo de tão boa.

Em seguida, fizemos uma parceria para montar um curso online. Nasceu o Jogos para Engajar.

Serão quatro encontros de 2 horas aos domingos para dominar a arte de reter a atenção da audiência e influenciar comportamentos positivos com técnicas de gamificação.

Vamos começar dia 15/11 e estou muito animada.
Saiba mais sobre a programação aqui.

Lisandro me presenteia com conhecimento e sabedoria sempre que conversamos. Meu ranço, finalmente, virou benção.

Será que pode ser o seu caso também?

Aquele ser humaninho que enruga seu nariz pode ser o guardião do seu tesouro.


vemachado
vemachado

Verônica Machado foi repórter da Câmara dos Deputados e do Correio Braziliense. É jornalista e trabalha há 7 anos com Marketing Digital. Empreende na loja de pratos congelados Delícia Pronta, no projeto de histórias Vidas Contadas e no projeto de educação Jornalista 3.0. Neste último, oferece oito cursos digitais para comunicadores. Lidera uma comunidade de 500 jornalistas engajados em colocar projetos digitais no ar. Em quatro anos, foram 90 ideias concretizadas no Brasil e no exterior. Tem o próprio método de mentoria online, uma agência de mídias sociais e o clube de assinatura de conteúdo, o Clube de Realizadores. Como posso te ajudar?