O olhar mais atento aos simbolismos da vida vai se apaixonar pela série da Netflix “O Gambito da Rainha”.

O nome é inspirado em uma jogada rara no xadrez. E que jogo chique, né?! Sei nadica das peças e movimentos, mas a narrativa me conquistou do início ao fim.

Aqui vai o trailer:

A história conta a vida de Beth Harmon, uma garota orfã que aprende xadrez com o zelador do orfanato e se torna uma enxadrista extraordinária.

Isso me faz pensar o quanto nossas vidas já seriam pré-determinadas e nossas missões apareceriam misteriosamente a nós. Será? Seria eu uma determinista? Estou pensando bastante sobre livre-arbítrio e se, realmente, o temos.

Voltando… Harmon tem, não só a habilidade, como o dom da lógica-matemática.

Mas o que me chama minha atenção é o quanto o talento exige um preço: renúncia de muitos prazeres e disciplina.

Todo mundo tem ralação, até quem tem mais facilidade para uma competência. Muitas vezes, acreditamos que a vida de um cantor, ator ou pintor com talento é mais fácil que a nossa… O que eles têm é esforço concentrado em um foco.

Se assim for, nosso desafio é ter a persistência necessária em um ponto focal para se destacar em uma área. É claro que não se trata de reconhecimento, mas de senso de dever.

Minha maior lição da série é que o mundo é de quem ousa e tem disciplina para continuar após uma queda. Quantas pessoas talentosas você vê a sua volta que não tem coragem? Ou resiliência?

Minha mãe é a chef mais talentosa do mundo inteiro. Juro, juradinho. Mas o medo de sair de um emprego em que recebe um salário mediano e tapinhas nas costas é maior do que assumir o risco de montar o próprio restaurante.

E está tudo bem. Cada pessoa tem um tempo diferente. Eu que sou impaciente e esqueço da maturação necessário a nós, ser humaninhos.

O que não se pode negar é que a vida chama. Acontecimentos frequentes te colocam cara a cara com o que você deve fazer na vida; como exercer sua arte e levá-la ao mundo.

No caso da minha mãe, depoimentos, elogios e inúmeras propostas de sociedade em algum negócio de alimentação. Mas nem todos os recursos podem fazer um talentoso covarde brilhar.

Com disciplina, conseguimos chegar a lugares mágicos que os extraordinários jamais chegariam sem Vontade.

Se você reconhece seu dom, arrume sua malinha de coragem e vai.

Se você ainda se sente perdido, arrume sua malinha de coragem e vai. A vida te mostra o próximo passo.


vemachado
vemachado

Verônica Machado foi repórter da Câmara dos Deputados e do Correio Braziliense. É jornalista e trabalha há 7 anos com Marketing Digital. Empreende na loja de pratos congelados Delícia Pronta, no projeto de histórias Vidas Contadas e no projeto de educação Jornalista 3.0. Neste último, oferece oito cursos digitais para comunicadores. Lidera uma comunidade de 500 jornalistas engajados em colocar projetos digitais no ar. Em quatro anos, foram 90 ideias concretizadas no Brasil e no exterior. Tem o próprio método de mentoria online, uma agência de mídias sociais e o clube de assinatura de conteúdo, o Clube de Realizadores. Como posso te ajudar?